Operacional e estratégico: Inteligência Artificial já alcança todas as camadas de decisões nas empresas

Novas tecnologias têm ido além da resolução de pequenos problemas operacionais e já ajudam gestores até em mudanças de rumo

A Inteligência Artificial (IA) é a grande estrela da 5.° edição do Viasoft Connect, o maior evento de inovação em gestão empresarial do Brasil. Ela já faz parte da organização do encontro, está sendo demonstrada no espaço de exposições e debatida em muitos painéis durante os três dias de evento. Os professores Kristian Capeline e Luiz Pinheiro, da Universidade Positivo (UP),trouxeram o assunto para as discussões, com muitos exemplos de utilização de ferramentas com IA que podem ajudar na gestão de empresas de todos os tamanhos e segmentos.

Segundo eles, a IA e suas ferramentas já atingiram várias camadas das empresas. Na parte operacional, por exemplo, a IA ajuda a automatizar atividades como a criação de conteúdos e documentos, além da padronização de ações. No nível tático, pode auxiliar na análise de variáveis, criando planos de ação para alcançar determinados objetivos. Já no nível mais alto, o estratégico, a IA pode ser até mesmo crucial para a sobrevivência do negócio.

“O gestor pode solicitar que a Inteligência Artificial analise a concorrência e retorne, por exemplo, com cinco ações para aumentar a longevidade dos negócios. Ou até para verificar mudanças de cenário no ramo de atuação da empresa”, sugeriu Pinheiro. Ele citou como exemplo o ChatGPT, que começou a ser bastante utilizado no Brasil. “Apesar da ferramenta ser “nova” no ambiente de negócios, existem artigos que mostram o quanto ela já ajudou no aumento das vendas e na produtividade”, afirmou.

É claro que, por ser uma ferramenta aberta, o ChatGPT apresenta riscos. Segundo Capeline, algumas empresas inclusive já proibiram o uso da ferramenta devido ao alto risco de vazamento de informações. “Há também riscos éticos e de confiabilidade, já que nem sempre é possível saber de onde vieram as informações disponibilizadas pelo ChatGPT”, alertou.

Capeline é fundador e coordenador-geral da Escola de Tecnologia da Informação (ETI) da Universidade Positivo. Pinheiro é coordenador/head da Escola de Negócios da Universidade Positivo (BSUP). Ambos utilizam a inteligência artificial no dia a dia de trabalho para melhorar a performance de aulas, aprimorar a gestão dos cursos e até diminuir a evasão de alunos das salas de aula. Em breve, eles vão ministrar um curso para professores de escolas públicas, ensinando o uso da ferramenta como aliada da Educação.

O Viasoft Connect acontece até 23 de junho. São mais de 180 palestrantes com seis sessões plenárias acontecendo simultaneamente, além de um espaço de exposições com 7 mil m² no Viasoft Experience – centro de convenções dentro da Universidade Positivo, em Curitiba. Mais informações no site viasoftconnect.com.br/.