Mudar o pensamento interno na empresa pode ser o primeiro passo para uma inovação

Quando se fala em inovação, um dos temas que vem à cabeça é a criação de um novo produto. Mas e quando a mudança é interna, ou seja, dentro da empresa? Para Caio Santos, head de inovação da Porto Seguro, este passo é fundamental para um negócio continuar atual e alcançar seu propósito.

“As pessoas precisam parar de serem operacionais e serem analíticas. Se elas tiverem tempo para analisar, os erros vão diminuir”, disse ele.

O objetivo é usar a tecnologia à favor do funcionário. Com a ajuda da inteligência artificial, os erros diminuem e, automaticamente, o serviço melhora. Até por isso, há o incentivo para os colaboradores se atualizarem.

Caio é também analista de pesquisa e desenvolvimento da Oxigênio Aceleradora, criada pela própria Porto Seguro para estimular o empreendedorismo, melhorando o desempenho das startups, que vão ganhando cada vez mais espaço e suprindo as exigências do mercado.

“Nós vamos sempre exigir mais. A nova geração vai entregar sempre uma novidade. O mundo está cada vez mais conectado e isso se reflete no empreendedorismo, com as startups”, acrescentou.

Por isso, a inovação é indispensável no empreendedorismo. Toda ideia é bem-vinda, mesmo que já exista na concorrência, e é possível atrair o consumidor com novos modelos. Desde que tudo seja colocado em prática.

“Não tem certo, não tem errado. Cada um tem seu jeito de pensar. Mas é preciso ter ideias, colocar a cabeça para pensar. Depois tem que materializar a ideia, não deixar guardado na gaveta. Por fim, o produto final precisa gerar valor”

Texto: Básica Comunicações

Fotos: Fábio Ortolan, Fernando de Souza e Brunno Covello