Martinelli Advogados discute como o blockchain e o esg podem colaborar para ampliar a confiança do mercado

Filipe Duarte Ribeiro, coordenador do Núcleo de Direito Digital do Martinelli, será palestrante do Viasoft Connect, que acontece em Curitiba (PR)

A adoção de práticas ESG é uma demanda global, que vem sendo estimulada pelos investidores e pela necessidade global de um desenvolvimento sustentável, em razão dos impactos climáticos e sociais. Embora o assunto já ocupe as mesas estratégicas das empresas, sua compreensão e aplicação não são tarefa fácil, muito em razão da dificuldade em se colocar em prática e, principalmente, medir, divulgar e auditar os resultados da aplicação das práticas ESG. E uma pergunta que se coloca é como a tecnologia pode ser um aliado do pensamento ESG?

Para responder a essa questão, Filipe Ribeiro Duarte, coordenador do Núcleo de Direito Digital e Compliance do Martinelli Advogados, um dos maiores escritórios de advocacia do País, apresenta a palestra “Blockchain e ESG: Uma aliança importante para a confiança do mercado”, no dia 24 de junho, às 13h10. A palestra é parte das atividades do Viasoft Connect, maior evento de Inovação e Gestão Empresarial do Brasil, que acontece entre os dias 22 a 24 de junho, em Curitiba (PR). Patrocinador Premium do Viasoft Connect, o Martinelli Advogados estará com uma equipe de especialistas em Inovação e Compliance durante todo o evento para esclarecer como o escritório pode apoiar as organizações em seus desafios ESG.

“O aumento da relevância dada ao ESG é impulsionado por uma série de fatores, dos quais, dois merecem destaque. O primeiro, é a finitude dos recursos naturais e o respectivo impacto ambiental e social causado pela operação das empresas comparativamente ao crescimento da demanda por serviços, produtos e da própria população. O segundo, é a tendência do direcionamento dos recursos financeiros dos principais investidores para empresas que pensam o ESG na condução de seus negócios”, afirma Duarte.

Segundo uma pesquisa realizada pela PWC, 57% dos ativos de fundos mútuo na Europa considerarão, até 2025, os critérios ESG na hora de investir, e 77% dos investidores entrevistados indicam que, nos próximos anos, não pretendem adquirir produtos que não estejam pautados no ESG. “Um exemplo disso é o CEO da Black Rock, uma das maiores gestoras de ativos do mundo, que tem reiterado, inúmeras vezes, que a gestora direcionará seus investimentos, cada vez mais, para ativos ESG”, acrescenta o especialista do Martinelli.

Nesse contexto, a utilização da tecnologia blockchain torna-se um importante aliado na implementação do ESG, por garantir o registro único dos processos e projetos desenvolvidos, de forma transparente e segura, como se verifica, por exemplo, em programas de créditos de reciclagem que utilizam esta tecnologia.

Filipe Duarte Ribeiro é Mestre em Direito Empresarial pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor convidado do curso de Pós-Graduação em Direito e Tecnologia da Faculdade Arnaldo/MG e ex-membro da Comissão de Estudo da Concorrência e Regulação Econômica da OAB/MG, atua com foco em Direito Digital, com experiência em temas relacionados a startups, novas tecnologias, proteção de dados, desenvolvimento de programas de compliance, consultoria empresarial e contratual.